Livro: A ÚLTIMA FRONTEIRA


Entre as verdejantes encostas a Norte e o azul do Sado a Sul encontra-se a última fronteira de Setúbal. Trata-se de um  espaço onde com o avanço da cidade já pouco resta dos ricos solos onde outrora floriram deliciosas e perfumadas laranjeiras.

A "ÚLTIMA FRONTEIRA" relatará como tudo aconteceu, descreverá as quintas da várzea, o aparecimento dos bairros, as lutas dos movimentos ecologistas pela preservação deste espaço e as mais deliciosas histórias sobre esta parte da cidade de Setúbal.

O livro será apresentado por Carlos Frescata, no sábado, dia 7 de abril de 2018, pelas 17,00 horas, no auditório da Biblioteca Publica Municipal de Setúbal.


                                                   * * * * * 

Sugestivas fotos, incluindo algumas com o recurso de meios aéreos ajudam a melhor perceber o que se passa ou passou nesta importante área da cidade sadina, outrora ocupada por produtivas quintas e para onde se encontra anunciada a construção do Parque Urbano da Várzea, o maior parque verde setubalense.

                                
                            * * * * * 
Finalmente!  

Depois de quase um ano às voltas com este trabalho acabo de dar por terminado “A Última Fronteira” e escolhi para ilustrar a capa a emblemática imagem do Mirante da Azeda, qual vigilante posto fronteiriço entre o verde dos nossos campos e o azul do nosso rio e mar. 

Este é um livro onde a interessante história do movimento ecologista setubalense se conta na primeira pessoa e onde podemos ler muitos curiosos relatos, descrições e histórias ocorridas na várzea de Setúbal, um espaço onde a tentacular especulação imobiliária não tem dado tréguas desde o tempo do Estado Novo até aos dias de hoje. 


Agendei a apresentação pública deste trabalho para o dia 14 de abril um dia que conto ter os amigos e todos aqueles que se interessam pelas coisas da nossa terra reunidos num agradável espaço setubalense.

Sem comentários:

Enviar um comentário